Categoria: music

Melhor de 2015

Dudi-Polonis.png

Melhor disco de 2015: Rodrigo Campos – Conversas com Toshiro

Por que? Eu estava em São Paulo a trabalho com Fernanda Takai, quando o baterista de sua banda solo, Lenis Rino, me convidou para a audição do novo disco do Rodrigo Campos. Eu, que nunca tinha participado de uma audição, achei que poderia ser uma experiência interessante. E como foi… Pegamos um trem em São Mateus com destino a Nagoya. Toshiro comanda a viagem nos guiando com sua música delicada e instigante. Ele conversa, nos apresenta, se transforma e nos transporta para dentro de personagens de um universo nipo-imaginário fantástico. Uma recomendação indispensável para quem nasceu no samba, mas adora mergulhar em novos universos sonoros.

Acredite, o Japão não é um lugar tão distante. Gokigen yo sayonara!

Leia a lista completa no Azoofa | Com as escolhas de Alan Eliezer, Amanda Braga, Camila Pastorelli, Christine Maksud, Emanuel Bomfim, Mariana Piky Candeias, Marina Vaz e Mauricio Valladares.

Anúncios

Sonho Natalino

FTK I have a Dream FINAL

Elaborei a capa para divulgar a versão de “I have a Dream”, sucesso do ABBA que ganhou esta belíssima releitura da Fernanda Takai.

A foto foi tirada no lançamento do disco “Na Medida do Impossível” em Belo Horizonte (05/12/2014), e a arte foi inspirada na capa de um disco do ABBA. A foto espelhada foi ideia da própria Fernanda – “Podia espelhar pra ficar tipo dueto de mim mesma” :)

Dia do Amor

Pra ler ouvindo:

Hoje é um dia muito especial, e eu não estou falando do dia dos namorados, mas sim do aniversário de um de meus alunos mais dedicados: O Seu Francisco, um aluno de uma sala de Educação de Jovens e Adultos na qual trabalhei nos últimos 2 anos. Alfabetizá-lo foi uma conquista e tanto, e como não existe um marco preciso no qual podemos afirmar que alguém está alfabetizado, comemoro essa nossa conquista no aniversário desse grande vencedor.

Por coincidência, na Sessão da Tarde de hoje, está passando “Ghost: Do Outro Lado Da Vida”. Não digo que é uma coincidência com o dia dos namorados, com certeza não, mas é que esse é o filme preferido de uma colega do Seu Francisco, a Matilde, uma viúva que vivia dizendo nostálgica: “Ai professor, eu sempre choro quando vejo esse filme!”.

As lembranças desses dois alunos causaram um efeito dominó, fazendo com que eu me lembrasse de pessoas maravilhosas que, mesmo tendo o dobro da minha idade, me chamavam de “pai”, numa brincadeira rica em respeito e afeto. Foram tantas histórias tão cheias de amor que vivi naquela sala de aula, que nada como uma data que celebre esse sentimento maravilhoso para que eu me lembrasse desse pedaço tão encantador da minha vida.

.

Escrita do Seu Francisco

.